14 de dezembro de 2016

Ponto final ou uma vírgula?

Fui ao cinema ver " O Vendedor de Sonhos" do psiquiatra, cientista e escritor, Dr. Augusto Cury. O filme é envolvente, realmente provocador de nossas emoções. Amei!

Se você ainda não viu, vá ver... Pare um pouco para refletir sobre as prioridades da vida, sobre as relações sociais e a verdadeira felicidade, o cultivo do perdão e amor (sobre se permitir vivenciar uma segunda chance, se preciso for). O conteúdo penetra a alma.
.
Há pessoas que sepultam pessoas com um ponto. 


Somente através da vírgula existe a oportunidade do recomeço.


Aline

14/12/16

17 de novembro de 2016

O silêncio entre as palavras

Se a palavra tem valor, em determinadas situações o silêncio tem bem mais.


Há comentários, em certos contextos, que não deveriam ser ditos por serem absolutamente dispensáveis, por não terem nada de bom em seu conteúdo. Especulações em determinadas circunstâncias, além de não modificarem a realidade, também nada de positivo acrescentam. Antes de uma fala  vazia ou perniciosa, silenciar é sábia escolha.




Aline
17- 11-16

20 de outubro de 2016

Meu primeiro grande amor

Hoje eu queria estar no lugar onde posso sentir as batidas do teu coração, seu cheiro cheiroso, ouvir seu sorriso de perto...lugar onde nossa relação começou, quando há 26 anos te colocaram em meus braços e te envolvi em um ABRAÇO. Naquele instante, Deus apareceu pra mim através da materialização de sua vida. Numa fração de segundos, entrei em contato com o mais puro e verdadeiro amor.
Tenho orgulho do SER HUMANO que você é, filho, de sua sensibilidade para as artes, seu gosto pela música e leitura, suas habilidades para a escrita e desenho. Adoro quando conversamos sobre a vida, sobre os episódios do dia a dia, quando rimos juntos, quando buscamos soluções para o que não está bom e pode melhorar.


Para este novo ciclo, deixo de presente algo que já faz parte de sua/nossa essência, mas fica o registro através das palavras da escritora Martha Medeiros:
Faça o bem para si. Negue-se a participar de coisas que não acredita ou que simplesmente o aborrecem. Presenteie-se com boa música, bons livros e boas conversas.Não troque sua paz por encenação. Não faca nada que o desagrade só para agradar os outros. Mas seja gentil e educado, isso reforça laços, está incluído no projeto ser amigo de si mesmo.
Que Jesus te abençoe, proteja, ilumine seus passos, pensamentos e atitudes. 
Uma chuva de bençãos em sua vida!!!
Beijos da mãe que te ama muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitoooooooooooooooo, mais que demais!!!
Aline
20/10/2016

19 de outubro de 2016

Desassossego

Entretanto, o  passado palpitava naquele trato de ventura, como a raiz parcialmente enferma, escondida no solo, sustentando embora o tronco florido. (Trecho do Livro - Sexo e Destino - Psicografia Chico Xavier)


Por mais que tentemos evitar certos pensamentos e impedir o acesso deles ao coração, tem dias que não tem jeito... Basta a leitura de uma frase, em um livro, pra remexer e instalar o conflito vibratório.

De que forma contornar as pedras e reconstituir o caminho rumo a uma outra direção?
Como inventar notas alegres diante desta inquietude? Ainda não sei...







Aline 
19/10/2016



30 de setembro de 2016

Nada cheio de tudo

Da série, os filhos também curtem escrever...
Semana passada, ele ...
Agora, ela...

Enquanto cá em mim tudo transborda, sinto a necessidade da escrita pulsando em minha mente para expurgar o vazio e paradoxos do passado e presente.
Tento. Ato falho.
Penso. Retalho.
Tudo transborda. 
E some.
E seca.
Consome.






Talvez seja o vazio da conformação de que a vida, tal qual tem me ensinado, buscou sim, reduzir em mim a essência inata. Talvez seja o cansaço de crer e ser, ser e crer. Me foder.Talvez não seja nada. Não é nada. Nada é. 

(Amanda Caldas)


Diante do NADA cheio de TUDO, leio linhas, entrelinhas, sinto o pulsar em cada palavra, até mesmo a que não foi escrita. O cansaço faz parte de toda e qualquer caminhada. A essência, vez por outra, precisa de um tempo para se realinhar, e assim reabastecer a própria energia. Prossiga, sempre em frente...Você é tudo, tudo é...pra mim!!!

Te amo, filhona!!!

Aline
30/09/2016

21 de setembro de 2016

Quem olha pra dentro (e pra fora) desperta!

“And I've been putting out the fire with gasoline”
Cat People (Putting Out Fire) – David Bowie

Há algum tempo atrás, por iniciativa própria, coloquei-me no fundo de uma versão muito particular da Caverna de Platão. Em seus recônditos mais distantes, sentei-me de costas para sua entrada. Em frente a mim só o que via eram as sombras bruxuleantes do mundo lá fora e ao meu redor os ecos ululantes que se rebatiam sobre as superfícies úmidas e rochosas.
Aos poucos a caverna, tal qual passe de mágica, passou a me oferecer pequenas diversões e prazeres. Recebi algumas visitas... Umas fiz partir e outras saíram sozinhas a despeito de meus protestos. E nesse processo, tornei-me enraizado na ignorância e no vazio que o torpor tão eloquentemente oferece.
Nessa noite, na qual escrevo, havia uma fogueira crepitando lá fora e, por um motivo de puro acaso, tive curiosidade e ousadia suficiente para arriscar olhar por sobre o ombro. O que vi? Vi a verdade. Algo que tantos dizem querer, mas em seu âmago acabam por afastá-la com todas as forças. E a verdade queima, tal qual a brasa da fogueira, aquele que se atreve a tocá-la.
Com corpo e alma em carne viva, permito que a dor excruciante acenda em mim a raiva. Permito que a raiva cesse e dê lugar à consternação, e que esta finde e ceda espaço à serenidade.
Não há mais dor. O mundo imprimiu em mim algumas de suas marcas, mas sereno saio e retribuo a ele. Não há mais dor. 

(Lucas Caldas)

Hoje, acordei com este texto acima, de autoria do meu filho, em minha caixa de emails, pedindo para que eu lesse e comentasse o que havia entendido. Isso rendeu uma boa e emocionante conversa entre nós.

A verdade, que muitas vezes nos chega sob forma da intuição (aquela que teimamos em não acreditar), dói. MAS ela tem um propósito muito maior, ela é libertadora. 

Quando adquirimos esta consciência, a dor perde o sentido de existir transformando-se em combustível para seguir em frente com mais aprendizado em nossa bagagem.

Como mãe fico emocionada pela escrita lúcida, pelos sentimentos que representam os meus (em meus contextos), pelos valores imbricados e conclusões. Siga sereno, com foco e em paz, meu filho. Eu te amo!!! A luz habita dentro de você!!! (e de forma intensa)

Aline
21- 09- 2016


13 de setembro de 2016

Letras que falam...

Fragmentos que se tornam composição...

"Quando você fica ao lado de uma pessoa e ela mesmo em silêncio lhe faz bem
Quando você fecha os olhos
e no pensamento está 
fotografado o rosto desse alguém" 

"Ah, quase ninguém vê
Quanto mais o tempo passa
Mais aumenta a graça em te viver" "

quer curtir balada já tem seu parceiro
ou ficar em casa amando o dia inteiro
e dividir comigo o seu brigadeiro"

e no fundo todo mundo espera
Um amor que venha pra somar, pra completar"

"Essa é a última oração pra salvar seu coração
Coração não é tão simples quanto pensa
Nele cabe o que não cabe na despensa
Cabe o meu amor "


Como inventar um adeus se já é amor?"

"Eu ainda estou aqui
Perdida em mil versões irreais de mim
Estou aqui por trás de todo o caos
Em que a vida se fez

"Pensa, explica como é que a gente fica?
Como é que a gente fica?"





Com amor...pra você, especialmente o pensamento de Cora Coralina.

Aline Caldas
13/09/2016

5 de setembro de 2016

A dor do outro doendo em mim...

Bom dia, pessoal!

O texto de hoje é um pedido de ajuda

Fiquei muito tocada com a mensagem de uma jovem neste final de semana. Não conheço as pessoas em questão, mas isto não tem importância, o importante mesmo é ajudar, nos solidarizarmos com a dor do outro, que poderia ser a nossa. Cliquem aqui e vocês entenderão...

Que o Mestre Jesus abençoe a cada um de nós, e que cada um possa contribuir com o que puder, até mesmo com uma prece de força e amor a envolver esta família.





Para quem quiser saber mais segue a FanPage e o perfil da Jenniffer.

Gratidão!

Aline

05/09/2016

31 de agosto de 2016

A linguagem da gentileza

Tenho um hábito: eu sorrio para as pessoas na rua. 



Uma vez, li que "o sorriso é um abraço que se dá de longe". Quem me conhece sabe que eu adooooooro abraçar. Então, sorrir é uma forma de abraçar quem não conheço.

As reações são diversas:  tem aquelas pessoas que baixam os olhos, tem as que fingem não ver, tem as que ficam com uma expressão de interrogação no rosto (por que sorriu pra mim?), tem as que sorriem timidamente quase sem querer, tem aquelas que correspondem em intensidade, e outras que até arriscam dizer um "Oi!" ao sorrir. Cada pessoa em seu ritmo e maneira de ser.

Ontem, sorri para a moça do caixa do supermercado e disse: "Bom dia, tudo bem?!". Ela registrando as compras, me deixou surpresa, pois depois de responder "Bom dia", após um breve silêncio completou: "Hoje eu não estou bem".

Ao olhar em seus olhos, percebi que já marejavam. Senti vontade de pedir a ela que se levantasse para receber um abraço meu, mas sei que se fizesse isso, além dela e toda a fila atrás de mim achar estranho, muito provavelmente ela desmontaria em choro durante o abraço, e não era essa a minha intenção.

Perguntei seu nome e falei: "Daniela, não sei o que se passa com você, mas gostaria que observasse dois pequenos detalhes: em um momento de extrema dificuldade pelo qual passa o nosso país, você está aqui trabalhando e saudável, não é verdade? Está bem longe de um leito hospitalar..." Ela balançou a cabeça afirmativamente. Continuei: "O que posso dizer é para você agradecer por essas duas coisas para que tudo comece a melhorar em seu dia. Não fique assim, reaja. Que Deus abençoe você". Assim me despedi recebendo dela um sorriso em meio as lágrimas e um "Muito obrigada!". Sorri pra ela abraçando-a em meu olhar. Senti que ela compreendeu.

E você? Também distribui sorrisos por aí? Experimente, não tem contraindicação :) Ele pode ser um meio para ir um pouco mais além fazendo sorrir alguém que nem pensava nesta possibilidade...Bendito seja o sorriso nosso de cada dia!!!

Aline
31/08/2016

26 de agosto de 2016

Um lugar onde Deus pôde me ouvir...

Criei uma relação de amor com um parque onde ia fazer caminhadas, no período que fiquei em Bentonville (AR). Como quem se despede de um amigo muito especial, resolvi ir lá fazer a derradeira caminhada e registrar o momento.

Sentei em frente ao lago, onde parei algumas vezes para meditar, organizar as gavetas mais íntimas, fiz uma prece e chorei, chorei muito...mas um choro de profunda gratidão pelo abraço recebido de toda a Natureza, nas vezes em que lá estive e pude perceber, sentir e me energizar.



Além da foto, pensei em trazer como lembrança uma pedra de qualquer trecho do caminho. Só que lembrei que um amigo holístico me disse, um dia, que não devemos tirar os elementos naturais do lugar, mas trazê-los em nossa memória e coração.

Segui minha caminhada pedindo para rever o passarinho vermelho mais uma vez, ele não só apareceu, como parou em um local onde parecia fazer pose para a foto.



Ao sair do parque, parei e fiz uma reverência em agradecimento pela pessoa melhor que me tornei nos dias que por lá passei...no interior do meu interior (como dizia o poeta Vander Lee).

Tomada de uma emoção cheia de saudade, de repente, vejo uma pedra junto a placa de entrada. Olhei incrédula, sorri, peguei e segurei-a próxima ao meu coração. Compreendi que ali estava a "minha pedra", confeccionada e deixada para tornar o dia de alguém mais feliz, no caso, eu!!!



Anos atrás, conheci o projeto Word Rocks (vale a pena clicar no link para conhecer) e anos depois, em um momento muito singular recebia através do exercício deste projeto o mais significativo presente e grata surpresa que trouxe de minha viagem.

Os elementos simbólicos do desenho encontraram significado em minha leitura das imagens. O traço na cor verde, por exemplo, é a grafia que uso ao assinar meu nome...Coincidência? Não, não mesmo!!! Uma resposta cheia de poesia!





Aline
26/08/2016

17 de agosto de 2016

Portas que abrem portais



"Que seja eterno enquanto for recíproco"

Linda essa frase, ela tem em seu conteúdo a verdade que procuro viver. 

E para o exercício da reciprocidade, o que é preciso? 

Por vezes é preciso silêncio e prudência...

Mas é imprescindível  mesmo o diálogo, falar das coisas boas e das coisas incômodas. Saber o momento certo de silenciar e falar. Procurar observar (sempre!), sentir, saber se está tudo bem ou se não está e o que não está. Se o que está bem tem como ficar melhor e se tem como ajustar o que não está tão bem.

É preciso vigilância e cuidado. É preciso interesse, verdade nas palavras e atitudes para fortificar, consolidar e facilitar a mútua compreensão em prol de um bem comum.

Aline

17/08/2016

10 de agosto de 2016

Alma e coração

Tudo é SOM diante dos meus olhos...
O canto das cigarras, grilos e pássaros,
O chiado das folhas ao vento nas árvores,
O pouso das folhas quando tocam o chão ao cair,
As risadas infantis ao longe,
Os passos das pessoas na trilha,
O escoar ritmado da água sobre as pedras...





Tudo é COR diante dos meus olhos...
O azul do céu.
O verde das plantas,
A diversidade das flores e borboletas...

                                         Trilha no Cristal Bridge
                                            (Arquivo Pessoal)


Tudo em mim é VONTADE,
Desejo de introjetar as percepções deste instante
Em  que o meu barulho interior se rendeu ao exterior, através dos sons e coloridos, que atendem pelo nome de PAZ...


Aline
Bentoville, 10/08/2016

4 de agosto de 2016

Viver, sentir e amar

Contemplar...
  1. 1.
    transitivo direto e pronominal
    fixar o olhar em (alguém, algo ou si mesmo), com encantamento, com admiração.
  2. 2transitivo direto
  3.     observar atentamente; analisar.

Observar, fixar a atenção com gratidão por enxergar com os olhos físicos a natureza e as pessoas. Compreender, na clareza das ações sutis, os movimentos que se revelam.

Respirar de forma consciente, ouvir o som tranquilizante da correnteza da água ou o ruído engraçado gerado pelo esquilo, enquanto se alimenta no topo da árvore, reparar no voo e canto do passarinho que faz piruetas no ar...

Nestes instantes  singelos de contato com o momento presente, sinto-me entregue, inteira e preenchida mais de perto pelo Hálito do Criador.


Arquivo Pessoal

E aí? Tem conseguido um tempo em sua agenda para si mesmo? 
Lembre-se:  se você não se priorizar, uma hora que seja, em sua semana, ninguém fará por você...
Garanto que você vai ter uma boa experiência e sair renovado(a). Tente, experimente se permitir o autoencontro.

Muita paz,

Aline
alinecalldas@yahoo.com.br

04/08/2016 

25 de julho de 2016

Do caos à estrela

A postagem de hoje não é minha, mas algo que eu precisava ler para reabastecer a minha energia.

"Existem acontecimentos que transformam nossas vidas. A perda de um parente, um amigo, uma traição seja ela conjugal ou não, uma doença... enfim, muitas situações.
Fato é que a cicatriz vai permanecer, então precisamos saber como vamos olhar para ela todos os dias. Como algo que nos ajudou ser uma pessoa melhor, ou como algo que nos paralisou no tempo."
Vera L. Nascimento



Acredito que minha alma é japonesa...

Gratidão, Vera, pela ajuda que me prestou, mesmo sem saber. Namastê!

Aline
25/07/2016

Ah, quem gostar de boa leitura, siga a Fan Page dela _ Psicologia para o Autoconhecimento.

18 de julho de 2016

Solte seus cabelos ao vento, não olhe pra trás!


Não entendo porque procura, em você, o estopim da canalhice do outro, quando o outro é canalha porque é, e não motivado por você.
Não consigo compreender porque você busca uma culpa que não tem.
Não, você não é responsável pela falha moral de ninguém. Liberte-se deste grilhão que só causa sofrimento por alguém que não merece sequer a sua lembrança.
Aristóteles disse que `nosso caráter é resultado da nossa conduta`, logo você já sabe o que quero dizer nestas entrelinhas.
Sei que dói, dói muito, e só vai passar quando você tomar as rédeas da sua cura.
Guarde o aprendizado. A partir das experiências, boas e más, aperfeiçoe o seu ser.
Apesar de tudo, creia que na estrada surgirá aquele alguém que valerá a pena...
Enquanto isso...tome posse desse recadinho abaixo...

Muita paz,

Aline 

18/07/2016

11 de julho de 2016

Flori(da)


Em meu coração, um só sentimento: gratidão pelos dias mais recentes, pela oportunidade em conhecer novos lugares, cultura e outras possibilidades, observar com mais atenção o que/quem estava ao meu redor. Eu me abri para novas impressões e perspectivas.

Na mente, um mantra: saboreie, apenas saboreie!



E assim fiz...as pessoas em seu tempo, o meu tempo para captar a essência das pessoas, o meu tempo para sentir apenas o tempo. E assim, ele não voou, foi vivido em cada segundo. Conectei-me com o agora, reaprendendo a respirar pra ser, a perceber para sentir e amar sem pressa alguma...

Aline
11/07/16



28 de junho de 2016

Foi o silêncio que contou...


E quando o amor, atenção, dedicação e respeito que você destina a alguém vem em proporção aquém? E quando o que você fala e não é compreendido, mas tão e somente julgado? E quando você percebe que só você se esforça para que tudo corra bem, que tudo saia a contento? E quando você observa que os outros só te tratam da forma que você acredita que merece, quando há um interesse oculto nisso? E quando a dor das verdades que você descobre quiserem te paralisar? E quando você não tiver mais vontade de nada dizer? Será que existirá alguém que, ainda assim, perceberá o tudo no nada que você diz?



Aline

28/06/2016

17 de junho de 2016

Papo reto

- "Ela me enrolou, mas não tem nada não, farei o mesmo com ela".

Se não tivesse nada, não teria revide. Sabe o que tem? Ego ferido e pensativo: Como alguém pode ousar me fazer de trouxa?

As experiências despertam forças em nossa interioridade, e mesmo que acordem forças negativas e próximas daquela que recebemos, devemos aproveitar essas situações, justamente, para escolher caminhos mais adequados, de forma madura, que permitem agir sem esse velho argumento.

O ideal seria perguntar para si mesmo: Gostaria de receber aquilo que ofereço ao outro?

O tempo é precioso demais para perder com o que não agrega bons sentimentos e atos.




Muita paz!

Aline Caldas

17/06/2016

8 de junho de 2016

Do diálogo ao monólogo

Você já observou o quanto as pessoas estão preocupadas em "falar, falar" sem ter tempo pra ouvir? Como a maioria está acelerada, e o que poderia ser uma conversa proveitosa esbarra na inabilidade de quem só quer opinar? 

Você está comentando algo, o(a) outro(a) vem, interrompe o seu discurso para expor o que pensa, sem ao menos te dar o direito de você concluir o raciocínio. Ele (a) imagina o que você ia falar. Depois, você reinicia do ponto onde parou, e quando evolui um pouco mais...outro corte em seu pensamento, pois o(a) outro(a) já invadiu o espaço de sua fala, quando só ouvia o que pensava que ia te dizer.

E então? Lembrou de ter vivenciado alguma situação parecida?

Está corriqueiro presenciar episódios assim. E o que poderia ser um diálogo vira um monólogo simultâneo. Chega a ser chato, na realidade, é desestimulante.


Existe muita coisa para ser vista, sentida, aprendida, ouvida e dita...de forma mais sutil, hábil e serena .


Aline Caldas
08/06/2016


2 de junho de 2016

A vida anda pra frente

Se você condena o erro de alguém, não faça igual.
Não desça ao nível do agressor após reclamar ter sido agredido.
Não revide o mal. Não vale a pena.

Faça-se luz nas mínimas coisas, não importa se você é apenas um vagalume.



...Ou se ainda não conseguir, aguarde quietinho(a), cultive bons pensamentos e, um dia, você será capaz.

Aline

02/06/2016


27 de maio de 2016

Onde está a verdade?

Qual a força de um mal entendido?
Ele tem o tamanho da energia somatória (orgulho, vaidade e egoísmo) que o alimenta. 
Não existem vítimas, existe o fato, apenas e tão só um fato.

Mas é fato que ele, o fato,  fica pequeno (invisível e insignificante) diante da grandeza das inúmeras conclusões, incontáveis certezas, diversas leituras de mundo e julgamentos, sempre "tão corretos", de cada um dos envolvidos.

É, mas todo ponto de vista é a vista de um ponto, como bem disse o teólogo/escritor Leonardo Boff. Então, com quem está a razão? Ela (a razão) olha de longe, esquecida e com tristeza, a confusão oriunda das precipitações que poderiam ter encontrado um caminho sadio através do diálogo no estilo "olhos nos olhos...quero ver o que você diz..." E ao ouvir e dizer, ser capaz de acolher opiniões divergentes, acolher o que difere na forma singular de agir, pensar e sentir; afinal o outro não é você, nem vice versa.





O raciocínio auxiliado pelo tempo, diante do silêncio, compreende que para aquele que não quer entender deve-se guardar a melhor atitude de serenidade. O tempo tudo revela...

Muita paz,

Aline
27/05/2016

19 de maio de 2016

Atitude Mental

A doença afeta  o físico e o espírito induzindo-nos a transitar por situações de sofrimento e dificuldades, MAS ela pode ser também um ponto de mutação para o mal que se transforma em bem.

Sim, o maior momento de turbilhão da vida poderá ser aquele que quando em contato com nossa solidão, poderemos perceber, efetivamente, quem somos e o que precisamos CURAR em nós.

Diante do medo do desconhecido e do que virá, somos convidados a transformar o processo de dor em aprendizado, a ampliar a consciência e crer que Deus nos dá forças para enfrentar, suportar, e  não para pular fases. A escolha é sempre nossa...





Muita paz,

19/06/2016

Aline Caldas


6 de maio de 2016

Turbilhão de sentimentos

Na brevidade da troca de um bom dia pelo whatsapp, um pouco da intensidade do que ecoou em minha mente horas depois...


Qual a liga entre duas pessoas?
O que move uma relação?
Sentimento sincero ou troca de interesses?
Comunhão ou acomodação? 
Amor próprio ou amor compartilhado?





Quem é o outro (a) deste convívio?
É o que penso que vejo?
É alguém que, de fato, desejo? 
É o que ele (a) espera que eu acredite que seja OU verdadeiramente se mostra como é?
O que leio e ouço é dito porque vem da alma OU resultado de uma análise feita pelo outro (a) do que necessito crer?
E quando os atos não correspondem a fala será que é, exatamente aí, que o outro (a) se revela?



Aline
06/05/2016

25 de abril de 2016

Todo o mal traz consigo algum bem

"Tende calma"... no momento de maior turbulência da vida, devemos tentar manter a calma para conseguir ouvir a Intuição Divina, que não será percebida se só mantivermos o barulho em nossos pensamentos.

"Tende calma"... e em contato com a própria solidão, entenderemos quem somos e o que precisamos curar em nós. 

Todos transitamos por situações de sofrimento e dificuldades. Se Deus é Justo e Misericordioso, tudo que passamos tem a ver com nossa história. Ao nos resignarmos e passarmos pela dor, com inteligência, calma e sabedoria, sentiremos que Deus nos dá a força necessária para enfrentar e superar, mas jamais para pular fases. "A natureza não dá saltos". Jesus foi exemplo disso.

No processo de cura, podemos gerar autoconhecimento e sabedoria, ampliando consciência e amadurecimento psicológico do nosso próprio ser. A doença, seja física ou decorrente de vício moral/ético, é o ponto de mutação entre o mal que se transforma em bem, quando assumimos a busca de nossa real transformação.

O que preciso mudar para me ajudar neste processo? Só eu saberei...à medida que me permitir traçar objetivos e lutar para alcançá-los sem desistir...




Muita luz,

Aline Caldas
25/04/2016

21 de abril de 2016

Humanos falíveis

Existem provas na vida difíceis de vivenciar.

Uma coisa é o que queremos, outra é o que precisamos. Neste hiato, ajuda muito buscar sublimar os instintos de revolta e incompreensão, pedindo ao PAI, através da oração, resignação e paciência para ultrapassar os maus momentos no caminho.

"A forma nada vale, o pensamento é tudo. Ore, pois, cada um segundo suas convicções e da maneira que mais o toque. Um bom pensamento vale mais do que grande número de palavras com as quais nada tenha o coração".(O Evangelho segundo o Espiritismo, 131ª edição FEB, 1ª impressão da Edição Histórica, 2013, página 325)

E que a prece brote da alma não somente nos instantes complicados, mas sempre e em cada dia, pois certamente é pela que iluminamos a nossa consciência.





Muita paz,

Aline Caldas

21/04/2016

11 de abril de 2016

Se quiseres, podes recomeçar!

Recomecemos, este foi o tema da palestra que assisti ontem.

Recomeçar implica vivenciar a renovação espiritual através da aquisição de novas virtudes, esforçando-se, consequentemente, em superar más tendências.





A palestrante Ana Maria Racy expôs alguns questionamentos, oportunidade para refletir sobre pontos importantes que exigem atenção diária:

- Estou cumprindo com a lei de justiça, amor e caridade?
- Não pratiquei o mal?
- Estou praticando o bem?
- Tenho feito ao outro o que gostaria que me fizesse?
- Tenho sido preconceituoso em relação a etnias, crenças religiosas, opções sexuais?
- Tenho alimentado ódio, rancor, desejo de vingança?
- Tenho sido indulgente para com as fraquezas alheias?
- Tenho evidenciado defeitos alheios?
- Quando estou olhando para os meus defeitos para poder combatê-los?
- Até quando vou me esconder de mim mesmo?

Ela ressaltou a importância de voltarmos os olhos para nossas atitudes, nosso próprio caminho. Ao invés de apontar os defeitos dos outros, exigir aquilo que ele ainda não tem capacidade de oferecer, vamos cuidar de modificar para melhor, em nós, o que é preciso.

Muita paz,

Aline
11/04/2016




4 de abril de 2016

As pessoas MUDAM ou se REVELAM?

Lancei esta pergunta ontem, em meu Facebook, e convidei os amigos para que deixassem lá suas opiniões. Através do que escreveram (e com eles), compreendo que tudo depende  a partir do ponto que se vê, do olhar que se tem. Em negrito, a síntese. 

As pessoas revelam...

- O que há muito já deveria ter sido modificado, mas que a acomodação não permitiu amadurecer;
- Desejos e características, boas ou ruins, a partir do autoconhecimento.
- A revelação se dá quando somos levados a externar nossas virtudes, defeitos e preconceitos.

As pessoas mudam E se revelam...

- Como sujeitos historicamente situados, nos revelamos todo tempo e, à medida que amadurecemos, também mudamos, o que é essencial para a evolução espiritual.
- Algumas revelações podem inspirar mudanças.


As pessoas são!

- E se revelam a partir do nosso olhar, que também muda a medida que evoluímos
- E nossas expectativas nos deixam cegos para enxergar a verdade.

O que muda é nosso olhar...

- Sobre as pessoas de acordo com as experiências vividas.
- E passamos a perceber coisas que antes não enxergávamos.
- As mudanças fazem  parte do processo evolutivo, mas podem ser percebidas de maneiras diferentes em virtude do prisma de cada um dos observadores.

Umas se revelam, outras mudam...

- E para mudar é preciso querer, um desejar profundo e mover sincero.

Muita paz, boas revelações e/ou mudanças!

Aline

04/04/2016






31 de março de 2016

Contrários

Os abraços, expressões sempre doces e sentimentos, ao sinal da primeira e única rajada forte de vento e tempestade, ruíram. Pra quem nunca erra ou perde a pose, pra quem é perfeito (a) e não tolera imperfeições, escrever duras palavras e se ausentar da responsabilidade conjunta no fracasso de uma relação é o mais adequado a fazer (só que não!). 

Diante de "meias verdades", o silêncio é uma excelente opção para acalmar os ânimos daquele que ouviu e nada retrucou, por ter a consciência de que nada que dissesse seria bem entendido. 


Muita paz,
Aline
31/03/16


24 de março de 2016

Cuide - se bem...



Confia no novo roteiro a seguir. 
Abre áreas luminosas em teu pensamento. 
Abraça a oportunidade de aprendizagem e renovação.
Encara a nova realidade focando nos frutos de suas ações.
Leva em teu coração o cuidado diário com a flor do nosso amor.
("Não há amor fora da experiência do cuidado. A vida requer cuidado, os amores também" - Pe Fábio de Mello)
Guarda a sensação boa e verdadeira do aconchego dos nossos abraços.
Retorna com o dever bem cumprido e tua consciência em paz.


Aline
24/03/2016

20 de março de 2016

Pelo prisma do aprendiz


Lidar com o outro é lidar consigo mesmo.
É conquistar, frutificar, sublimar instintos, lidar com o tempo (tão próprio de cada um), exercitar a inteligência para discernir, cumprir com as nossas responsabilidades de maneira honesta.



Ao aceitarmos os outros e a nós mesmos, como somos, é uma forma de sermos reconduzidos a verdade e, assim, termos a possibilidade de expandir em amor e auxílio (inclusive em causa própria).

Muita paz,

Aline

20/03/2016

7 de março de 2016

Assinado:EU

Chico Xavier, em certa ocasião, disse:

"...quando alguém lhe provocar irritações, pegue um copo d'água do pote, beba-a um pouco e conserve o resto na boca, não a ponha fora, nem a engula. Enquanto durar a tentação de responder, deixe-a banhando a língua. Esta é a "água da paz"!

Essa dica faz todo sentido, e foi vivenciada por mim dias atrás. Lembrei dela no exato instante em que me dei conta que qualquer coisa que eu dissesse não surtiria o devido efeito do bem, mas insuflaria o mal estar que me cercava. Confesso que a minha vontade inicial foi cuspir a água, pois é bem mais fácil entrar na vibe perturbadora e trilhar o caminho da provocação imposta. 

Mas sabe aquela lembrança de que o caminho que eu traço é minha escolha? Durante alguns dias,   fiz este exercício. No ápice dos insultos velados, mantive-me em silêncio, consciente de que dele dependia a paz que quero pra mim. Conclusão?! Não entrei na teia da discussão sem propósito, não compactuo com falas sem busca de entendimento. 

E a água? Após ter me afastado da fonte desta energia descompensada, passei mal, vomitei em jato. A sensação foi de alívio, e de um extremo cansaço. Venci a batalha contra mim mesma. E nisto, posso compartilhar outro sentimento de Chico Xavier vivido por mim:

"Fico triste quando alguém me ofende, mas, com certeza, eu ficaria mais triste se fosse eu o ofensor...Magoar alguém é terrível!"

Ah, mas eu não guardo mágoa. Em meu coração só tem espaço para aquilo que me faz bem: o amor e seus derivados :) 



Muita paz,

Aline 
07/03/2016



1 de março de 2016

Saudável companheirismo




A solidão pode não estar associada ao medo de não pertencer a um modelo social, pode não ser sinônimo de isolamento, pode não ter nada a ver com o receio de não ser lembrado por alguém ou o desprezo por si mesmo.

Isolar-se espontaneamente tem lá suas vantagens quando nos dispomos a refletir, a rever nossos valores e atitudes perante a vida. No silêncio interno, podemos descobrir aquela paz íntima que nos inspira comportamentos favoráveis a uma convivência saudável quando sintonizados no bem.  

" O grande desafio contemporâneo para o homem é o seu autodescobrimento.
Não apenas identificação de suas necessidades, mas, principalmente, da sua realidade emocional, das suas aspirações legítimas e reações diante das ocorrências do cotidiano". ( Joanna de Ângelis)

Aline
01/03/2016