27 de dezembro de 2011

Mero detalhe

Neste instante, penso, visualizo e abraço, mentalmente, pessoas que colaboraram com o que sou, através de palavras, escuta ou bons exemplos.

2011,  pra mim, foi o momento de ordenar a alma, exercitar o controle mental, o bom senso e moderação, a consciência do que se posso e não devo falar, estar mais próxima da humildade, prudência e sensatez. 

          "Examina o sentido, o modo e a direção de tuas palavras, antes de pronunciá-las." (Emmanuel)


Associado a tudo isso de bom, é evidente que chegam as provações e provocações. Nada mais são do que testes, avaliações de aprendizagem, um modo de ver se a teoria, na prática, funciona.

         " Entreguemos ao Senhor as lutas estéreis a que somos tanta vez provocados, e prossigamos, com Ele, no trabalho edificante do Bem". (Bezerra de Menezes)

A cada novo dia, que eu não desista e busque sempre enxergar, na existência, a oportunidade...de acertar.

Abraço fraterno,

Aline Caldas Cunha


21 de dezembro de 2011

Tic, tac, tic, tac...


Ruídos, palavras, gestos
Jazz, rock, bossa nova, MPB
Dias de escuridão, noites de luz
Traço, ponto, vírgula
Soma, multiplicidade, divisão
Lua, sol, eclipse
Neblina, Chuva torrencial
Saber, não saber ou não ter certeza
Céu, purgatório, inferno
Avanço, recuo
Desmedidas transições.

Aline Caldas


Somos livres. Cada instante, escolhemos pensamentos, decidimos caminhos, revelando o volume das nossas conquistas e das nossas necessidades. Distraídos, alimentamos fantasias, acariciamos ilusões, brigamos por elas, acreditando que representem nossa felicidade. A visita da verdade, oportuna, faz-nos reciclar valores, modificar idéias, aprender lições novas, caminhar para frente, desenvolvendo nosso mundo interior.

Zibia Gasparetto




19 de dezembro de 2011

S.O.S - Amor ao Próximo.

Amigos do Semear-te,

   Recebi hoje o pedido de ajuda na participação e divulgação de uma campanha muito importante. Peço a atenção de vocês para o texto de Márcia. Que ela possa ter a chance de tentar, mais que isso, que ela tenha o merecimento de tudo dar certo!
   Fica aqui o meu carinho e minha melhor vibração!
   Vamos doar, divulgar e nos ligar em prece por ela.

   Abraço fraterno,

   Aline Caldas


                 "Solidariedade, amigos, não se agradece, comemora-se." 
                                                     (Betinho)
Queridos amigos,
        Necessito urgentemente de sua solidariedade. Preciso fazer, com a maior brevidade, uma neurocirurgia no exterior (Hannover - Alemanha), contudo não possuo recursos para realizá-la. Em 2004 foi diagnosticado um tumor na minha cabeça chamado meningioma, em área de difícil remoção; desde então, manteve-se inalterado, mas de um ano para cá, apesar de benigno (Graças a Deus!), cresceu bastante, aumentando a gravidade. 
           Os neurocirurgiões que me acompanham, aqui em Recife, Dr. Paulo Brayner, bem como Dr. Divaldo Câmara, recomendaram-me, devido ao risco cirúrgico, o INI – Instituto Internacional de Neurociências em Hannover, cujo presidente, Dr. Madjid Samii, tem conseguido bons resultados em casos semelhantes. Ocorre que o valor da cirurgia é de 50.000€ (cinqüenta mil euros), fora as despesas de viagem, que não tenho como conseguir por meios próprios. 
        Desta forma, PEÇO em nome de minha filha de 7 anos, Beatriz, de meu marido, Roberto e em nome de Jesus misericordioso  a SUA AJUDA e sua ORAÇÃO.
Muito obrigada e que Deus os abençoe!!
Márcia Ribeiro dos Santos
Telefones para contato: 9152-0619/ 9767-7405/ 3481-1342 
(Roberto, Marcia, Alexsandra)
Doações:
BANCO DO BRASIL
Agência: 1839-2
Conta: 5000-8 (Márcia Ribeiro/ Roberto Salvino) 

13 de dezembro de 2011

Na oficina do astral

Sobre a mesa, novos e antigos projetos espalhados.
Dentro do armário, sentimentos adormecidos.
Acendeu a luz e se deu conta que a sombra do medo não habitava mais ali.
Perscrutou seus sonhos, encontrou o fio, era preciso desfazer o nó.
Na rádio tocava uma canção : "Abre as asas, alça o voo, voa, vai, vai, vai..."
Abriu a porta, caminhou firmemente e iniciou um novo começo... em si.



"Torna-te aquilo que és" ( Nietzsche)

Abraço fraterno,

Aline Caldas

6 de dezembro de 2011

Tudo é raro, nada é comum.


              Hoje, 06 de dezembro de 2011, é um dia especial pra mim. Concluo o segundo ano de estudos no Centro Kardecista  O Semeador - Alphaville - SP. Este ano foi especialmente um tempo de busca e melhor entendimento das leis divinas.

            Destaco alguns aprendizados importantes para o meu dia a dia (pode ajudar você também, quem sabe?):

- É preciso acordar, enxergar além do que vemos.

- Como disse Chico Xavier "Deus nos concede a cada dia uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta".

- Temos o livre arbítrio: "avenida de estrelas ou vereda de lama", a escolha do caminho é nossa!

- As lições recebidas são compatíveis com a nossa necessidade evolutiva.

- O erro é oportunidade de aprendizagem.

- O próximo é nossa ponte para Deus.

- Quanto mais conhecimento, maior a responsabilidade no exercício.

         Tão mais importante que saber é colocar em prática. Isto sim é absolutamente necessário para que possamos evoluir, melhorar, sempre e sempre.
            Um abraço especial para as minhas companheiras semeadoras . Neste ano, além do engajamento nos estudos, expandimos o nosso entendimento fraternal. Nossas reuniões no Café com Prosa (encontro de diálogos "terapêuticos", na última terça-feira de cada mês) são momentos deliciosos em que compartilhamos vida, sorrisos, emoções e sentimos nossa afinidade crescer. Sigamos com boa vontade, amabilidade espontânea, tolerância construtiva, compreensão e amor fraternal. Deus permita nosso reencontro em 2012 para que possamos continuar "aprendendo a manejar o leme da disciplina nas correntes da vida" enriquecidas por diferentes vivências e valores mais verdadeiros. Meninas, parece que descobrimos um jeito de plantar amor, começando no exercício entre nós mesmas. Literalmente vestimos a "mesma camisa" =) !


            Obrigada aos nossos dirigentes (Márcio e Sílvia) pelo conhecimento transmitido, dúvidas esclarecidas, amizade e paciência conosco. A nossa secretária de curso (Adélia) , obrigada pela atenção, gentileza e carinho com que nos tratou. Sentirei saudades!


Aline Caldas





29 de novembro de 2011

Pelo amor ou pela dor?

É de contrastes que a vida se utiliza para realizar seus fins evolucionistas
     (Frase do livro : O Amor Venceu – Zíbia Gasparetto - p.237)

Choro, Sorriso
Tristeza, Alegria
Mentira, Verdade
Egoísmo, Desapego
Temor, Confiança
Precipitação, Prudência
Remorso, Perdão
Ódio, Amor
Descrença,
Morte, Vida


No embalo das emoções, a certeza da presença de uma Força Superior que nos ampara e põe em nosso caminho os amigos, espíritos bondosos, que suavizam determinadas lições.

                                              

Quando somos atingidos pelas advertências que a vida nos faz, “antes de mais nada, devemos meditar profundamente nos perguntando: o que a vida quer nos ensinar com isso? Sempre que assim procedermos com intenção honesta, sem subterfúgios, descobriremos qual a nossa atitude que provocou esse fato. No fim, perceberemos que somos responsáveis por tudo quanto nos acontece e que se agirmos de forma diferente, valorizando o bem, a dor se afastará do nosso caminho”. ( Trecho/ Fonte : O Amor Venceu – Zíbia Gasparetto -  P.178 )

Pelo e com amor (sempre),

Aline Caldas


Seja do bem, faça alguma coisa por alguém! (clique na frase)




24 de novembro de 2011

Para você é leite. Para a criança é vida.

Você gosta de criança? Se a resposta for positiva que tal ajudar uma com apenas R$ 12,99 ?

É o seguinte, a Instituição Vale dos Lírios, que auxilia crianças e famílias carentes da região de Diadema-SP, precisa de nossa ajuda. Cento e quarenta e quatro crianças necessitam de leite em pó.



Pensando nisso, Lênia, Elaine e eu, convidamos vocês para, mais uma vez, juntarem-se a nós nesta corrente do bem. Quer saber como?

Clique no link da DrogaRaia , na busca escreva LEITE NINHO, depois selecione o Leite Ninho Instantâneo (R$ 11,99). 

Ao se cadastrar coloque como seu endereço (para entrega):
Rua Arciprestes de Andrade, 755 -  Ipiranga
Cep: 04268-020 - São Paulo/SP 

O preço já com o frete para o CEP acima ficará por R$ 12,99. Programe a entrega    para a semana (2a à 6a.), horário comercial. Este detalhe é importante! 

Este endereço é da Patrícia Bongiovanni Brunieri, a Paty (pessoa que conta com nossa ajuda para ajudar às crianças). Ela tem como juntar todas as latas. 


       No dia da entrega, planejamos fazer uma manhã de brincadeiras e contação de histórias, momento em que será feito o registro fotográfico para compartilharmos a alegria com vocês. 

Caso você contribua, avise por e-mail (alinecalldas@yahoo.com.br), assim acompanharemos o número de doações. Ah, se quiser participar da entrega com a gente, em janeiro de 2012, é só falar. Quando tivermos definida a data, entraremos em contato.

Uma outra forma de ajudar é repassando este pedido aos seus amigos. Afinal, "vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois, pra melhor juntar as nossas forças...".


Doe leite, doe vida! Vem com a gente! =)


Abraço fraterno!
Aline Caldas

           Antes que eu me esqueça...quer ver o resultado da primeira campanha que fizemos? Foi um sucesso! Clique aqui e veja!  =)

22 de novembro de 2011

Entre palavras...

    Semana passada, li este texto que compartilho com vocês. Vale a pena refletir sobre nossos pensamentos e falas, muitas vezes ditas de forma automática sem levar em conta o interlocutor.




O Insustentável Preconceito do Ser
 ( Rosana Jatobá - advogada, jornalista)

   " Era o admirável mundo novo! Recém-chegada de Salvador, vinha a convite de uma emissora de TV, para a qual já trabalhava como repórter. Solícitos, os colegas da redação paulistana se empenhavam em promover e indicar os melhores programas de lazer e cultura, onde eu abastecia a alma de prazer e o intelecto de novos conhecimentos.
   Era o admirável mundo civilizado! Mentes abertas com alto nível de educação formal. No entanto, logo percebi o ruído no discurso:
- Recomendo um passeio pelo nosso “Central Park”, disse um repórter. Mas evite ir ao Ibirapuera nos domingos, porque é uma baianada só!
-Então estarei em casa, repliquei ironicamente.
-Ai, desculpa, não quis te ofender. É força de expressão. Tô falando de um tipo de gente.
-A gente que ajudou a construir as ruas e pontes, e a levantar os prédios da capital paulista?
-Sim, quer dizer, não! Me refiro às pessoas mal-educadas, que falam alto e fazem “farofa” no parque.
-Desculpe, mas outro dia vi um paulistano que, silenciosamente, abriu a janela do carro e atirou uma caixa de sapatos.
-Não me leve a mal, não tenho preconceitos contra os baianos. Aliás, adoro a sua terra, seu jeito de falar….
   De fato, percebo que não existe a intenção de magoar. São palavras ou expressões que , de tão arraigadas, passam despercebidas, mas carregam o flagelo do preconceito. Preconceito velado, o que é pior, porque não mostra a cara, não se assume como tal. Difícil combater um inimigo disfarçado.
   Descobri que no Rio de Janeiro, a pecha recai sobre os “Paraíba”, que, aliás, podem ser qualquer nordestino. Com ou sem a “Cabeça chata”, outra denominação usada no Sudeste para quem nasce no Nordeste.
   Na Bahia, a herança escravocrata até hoje reproduz gestos e palavras que segregam. Já testemunhei pessoas esfregando o dedo indicador no braço, para se referir a um negro, como se a cor do sujeito explicasse uma atitude censurável.
   Numa das conversas que tive com a jornalista Miriam Leitão, ela comentava:
-O Brasil gosta de se imaginar como uma democracia racial, mas isso é uma ilusão. Nós temos uma marcha de carnaval, feita há 40 anos, cantada até hoje. E ela é terrível. Os brancos nunca pensam no que estão cantando. A letra diz o seguinte:
O teu cabelo não nega, mulata
Porque és mulata na cor
Mas como a cor não pega, mulata
Mulata, quero o teu amor”.
  “É ofensivo”, diz Miriam. Como a cor de alguém poderia contaminar, como se fosse doença? E as pessoas nunca percebem.
   A expressão “pé na cozinha”, para designar a ascendência africana, é a mais comum de todas, e também dita sem o menor constragimento. É o retorno à mentalidade escravocrata, reproduzindo as mazelas da senzala.
   O cronista Rubem Alves publicou esta semana na Folha de São Paulo um artigo no qual ressalta:
Palavras não são inocentes, elas são armas que os poderosos usam para ferir e dominar os fracos. Os brancos norte-americanos inventaram a palavra “niger”para humilhar os negros. Criaram uma brincadeira que tinha um versinho assim:
“Eeny, meeny, miny, moe, catch a niger by the toe”…que quer dizer, agarre um crioulo pelo dedão do pé (aqui no Brasil, quando se quer diminuir um negro, usa-se a palavra crioulo).
Em denúncia a esse uso ofensivo da palavra , os negros cunharam o slogan “black is beautiful”. Daí surgiu a linguagem politicamente correta. A regra fundamental dessa linguagem é nunca usar uma palavra que humilhe, discrimine ou zombe de alguém.
   Será que na era Obama vão inventar “Pé na Presidência”, para se referir aos negros e mulatos americanos de hoje?
   A origem social é outro fator que gera comentários tidos como “inofensivos”, mas cruéis. A Nação que deveria se orgulhar de sua mobilidade social, é a mesma que  picha o próprio Presidente de torneiro mecânico, semi-analfabeto. Com relação aos empregados domésticos, já cheguei a ouvir:
- A minha “criadagem” não entra pelo elevador social !
  E a complacência com relação aos chamamentos, insultos, por vezes humilhantes, dirigidos aos homossexuais ? Os termos bicha, bichona, frutinha, biba, “viado”, maricona, boiola e uma infinidade de apelidos, despertam risadas. Quem se importa com o potencial ofensivo?
  Mulher é rainha no dia oito de março. Quando se atreve a encarar o trânsito, e desagrada o código masculino, ouve frequentemente:
- Só podia ser mulher! Ei, dona Maria, seu lugar é no tanque!
  Dependendo do tom do cabelo, demonstrações de desinformação ou falta de inteligência, são imediatamente imputadas a um certo tipo feminino:
-Só podia ser loira!
Se a forma de administrar o próprio dinheiro é poupar muito e gastar pouco:
- Só podia ser judeu!
   A mesma superficialidade em abordar as características de um povo se aplica aos árabes. Aqui, todos eles viram turcos. Quem acumula quilos extras é motivo de chacota do tipo: rolha de poço, polpeta, almôndega, baleia …
  Gosto muito do provérbio bíblico, legado do Cristianismo: “O mal não é o que entra, mas o que sai da boca do homem”.
  Invoco também a doutrina da Física Quântica, que confere às palavras o poder de ratificar ou transformar a realidade. São partículas de energia tecendo as teias do comportamento humano.
  A liberdade de escolha e a tolerância das diferenças resumem o Princípio da Igualdade, sem o qual nenhuma sociedade pode ser Sustentável.
 O preconceito nas entrelinhas é perigoso, porque , em doses homeopáticas, reforça os estigmas e aprofunda os abismos entre os cidadãos. Revela a ignorância e alimenta o monstro da maldade.
  Até que um dia um trabalhador perde o emprego, se torna um alcóolatra, passa a viver nas ruas e amanhece carbonizado:
-Só podia ser mendigo!
  No outro dia, o motim toma conta da prisão, a polícia invade, mata 111 detentos, e nem a canção do Caetano Veloso é capaz de comover:
-Só podia ser bandido!
  Somos nós os responsáveis pela construção do ideal de civilidade aqui em São Paulo, no Rio, na Bahia, em qualquer lugar do mundo. É a consciência do valor de cada pessoa que eleva a raça humana e aflora o que temos de melhor para dizer uns aos outros."
                                                                     
    E como, um dia, escreveu meu amigo Aldo Cordeiro:

   " Orgulho de ser...qualquer coisa além de seres humanos, serve pra quê? Pra mim, basta isso, ser igual a todos na espécie e único na apreensão do mundo, na integração com a vida. Não entendo os orgulhos. Da mesma forma, não vejo orgulho em ser nordestino ou carioca. Apenas nascemos em lugares diferentes, cada um com suas belezas e seus problemas. Nos achamos seres bonitos porque nosso cérebro desenvolveu a capacidade de catalogar entre o feio e o bonito. Os gatos são bonitos porque achamos. Pra eles são simplesmente gatos, independente de gays ou hetero, nordestinos ou cariocas, muçulmanos ou judeus, pretos ou brancos".

    Pois é...

Abraço fraterno,

Aline Caldas


15 de novembro de 2011

Evidências

                                            Imagem:blogdoquito


Em certas distrações, que restringem as percepções diante das tentações, poderemos dizer: “É, falhei, sabe como é... a carne é fraca.”
Não nos iludamos mais: A carne é apenas veste.  A matéria física não erra, pois não tem o livre arbítrio. Fraco é o espírito.
Renovar o conceito acima propicia assumir responsabilidades, cuidar da própria conduta e nobreza de caráter.
“Viver de qualquer modo é de todos, mas viver em paz consigo mesmo é serviço de poucos” - (Emmanuel).

Abraço fraterno,

Aline Caldas 

9 de novembro de 2011

Sou diferente!

Eu falo, tu falas, nós (ao mesmo tempo) fazemos barulho.
Ponto de vista, opinião, verdade...de quem?
Mas se eu fosse você...
Entenda...eu sou eu, você é você... aceite, respeite.
Não espere de mim o que você faz, eu não sou você.
É egoísta essa mania de querer que os outros pensem, procedam, falem como gostaríamos.
Dizer que gosto, não gosto, prefiro assim ou assado, concordo ou não concordo, reflete a minha individualidade...e eu quero ser EU! 

                                              mundolore.tumblr.com

Reli o texto e percebo que ele cabe em vários contextos de relações.
Ser igual pra que se a beleza reside na diversidade?


Aline Caldas

1 de novembro de 2011

E assim, chegar e partir...

             Amanhã, dia 02 de novembro, é celebrado o dia dos que partiram e deixaram saudade. O corpo físico perdeu o movimento e se desfez. O espiríto vive não só na lembrança de quem ficou, mas na vida que prossegue.

         " Se as leis do Senhor se manifestam claras e magnânimas, em todos os departamentos da experiência física, estaríamos, acaso, deprezados por Deus, quando ultrapassamos as fronteiras da morte? (...) Conservar-se-ia o Senhor indiferente aos nossos destinos, em algum lugar do Universo?"  (E a vida continua - Chico Xavier Pelo Espírito de André Luiz- Pg 65)

               "A vida é eterna, alternando-se no plano físico e espiritual, de conformidade com nossas necessidades evolutivas. E se quisermos a fórmula ideal para enfrentar nossa própria morte é simples: Vivamos cada dia como se fosse o último. Imaginemos todo o bem que praticaríamos e todo o mal que evitaríamos, se aprouvesse a Deus chamar-nos amanhã" 
( Uma Razão  para viver -Richard Simonetti - Pg 72)

             Amor e muita luz para meus familiares e amigos que se encontram no Plano Espiritual.

                                                   Google Imagens

                Quanto a nós que aqui (ainda) estamos, aproveitemos da melhor maneira o tempo cuidando dos nossos pensamentos e atitudes. Assim "quando a morte chegar, de rompante ou de mansinho nos abraçar, poderemos seguir sem traumas, sem medos, em paz." (Trecho que adaptei do texto - Antes que seja tarde - Redação do Momento Espírita)

Abraço fraterno,

Aline Caldas




25 de outubro de 2011

Não basta ser pai, tem que CLICAR!

  
Internet, uma das maiores invenções do Século XX, território perigoso para crianças e adolescentes que não fazem o uso correto e benéfico desta maravilhosa ferramenta de pesquisa e conhecimento. 

Usuária assídua do mundo digital tenho visto e lido cada coisa. Meu espanto maior reside no questionamento: onde estão os pais?

Penso que não basta restringir tempo de uso do computador, tem que participar, orientar, esclarecer:

Não aceite e/ou mantenha contato com estranhos;
- Não se exponha de forma indevida, por meio de fotos ou vídeos; 
- Não acesse conteúdo impróprio e/ou pornográfico. 
- Cuide do seu vocabulário, faça bom uso de suas palavras e lembre-se da responsabilidade em assumir o que escreve e publica.  

                                               Imagem do site:protejaseufilho.yolasite.com

Minha amiga Alba de Luna escreveu: "Quantos casos vemos de crianças/adolescentes que passam mais tempo na internet que no convívio social?! Muitas vezes sem contato com os próprios pais! Sem contar aquelas pessoas que preferem se relacionar virtualmente, pois no mundo virtual elas têm uma certa “segurança” e podem ser quem quiserem ser." 

O pior é que muitos vivenciam esta  "segurança" exercitando menosprezo, insultos, xingamentos, palavras de baixão calão; revelam uma face triste de adolescentes insensíveis, inconsequentes e sem limites. E os pais onde estão?Cansados? Sem tempo?

As desculpas de sempre bem que poderiam ceder espaço para a abertura ao diálogo, para a demonstração de interesse real e participação (também) virtual na vida dos filhos. Afinal, os pais tem o dever de cuidar, disciplinar, acompanhar e deixar a importante herança de valores éticos e morais... "tesouros que nem a traça nem a ferrugem (e eu digo nem a INTERNET) consomem..."
Participo do mundo digital/social dos meus filhos, responsabilizo-me, como mãe, no conhecimento e interesse pelo contexto em que eles se inserem. Com uma pitada de bom senso, é possível saber o limite para não me tornar invasiva. Desta forma navegamos  ajustando as velas, quando se faz necessário...disso eu não abro mão!

Luz,

Aline Caldas






18 de outubro de 2011

Um dia...






...quando TODOS entendermos que, apesar das diferenças, somos parte de uma única família, filhos de um mesmo PAI, poderemos vivenciar a paz, a alegria e o verdadeiro amor fraternal.

Namastê!

Aline Caldas

11 de outubro de 2011

Pelas lentes do meu coração

É tão chato ver sofrer alguém que amamos.
Já que o sofrimento (também) faz parte do crescimento, nenhum de nós escapa a determinadas experiências. Durante as descobertas, cada um tem a oportunidade de selecionar o que é essencial para a própria caminhada e, de preferência, colocar em  sua mochila tudo aquilo que seja "leve".


Nesta análise, sempre tão pessoal, é importante não desanimar, nada destruir, mas nutrir-se com ideias benéficas que, no momento oportuno, florescerão.

Depois de uma conversa, minha mente ficou fervilhando. Escrevo pra te dizer que com o passar dos anos, você aprenderá a diferenciar o amor narcizista do amor desinteressado. Adianto que leva um looooooongo tempo. Enquanto isso, procure ir se libertando da ruminância mental da tentativa de agradar os outros.

Aja de acordo com o que VOCÊ acredita. Faça o bem, evite o mal, confie na lucidez e coerência dos seus pensamentos: usamos objetos, não pessoas. Desta forma, dedique-se afetivamente por você, ame-se muito e desperte para a sua própria vida. Valorize a qualidade das pessoas que te cercam, a quantidade pode ser vazia...

Ouvi dizer que as provações nos "expõe à mostra nossa natureza autêntica". O que vejo em você ? Bondade, prudência, sapiência e uma vontade enorme de acertar. Continue assim: coragem! Não permita que a penumbra mental do outro ofusque sua luz. Cuide de sua essência e assim poderá auxiliar e amparar quem por perto está. Guarda contigo esta frase de Miguel Torga " É por dentro que eu gosto que aconteça a minha vida" .
"(...)Observa a tua "boa parte" e lembra que podes dilatá-la ao Infinito.
Não intentes destruir milênios de treva de um momento para outro.
Vale-te do esforço de auto-aperfeiçoamento cada dia.
Persiste em aprender com o Mestre do Amor e da Renúncia.
Não nos esqueçamos de que a Graça Divina ocupará o nosso espaço
individual, na medida de nosso crescimento real nos dons do Cristo."
 
(Trecho do texto: Nos dons do Cristo - Livro: Fonte Viva)
Conta com minha companhia e minha melhor vibração SEMPRE.
Luz e Paz,
Aline Caldas

4 de outubro de 2011

Aprendendo a ser "desnecessária"...

Dias atrás, recebi de minha amiga o seguinte recadinho:
 
"Li e me lembrei do seu blog. Bjos . Regina"

Ela me enviou um belo e verdadeiro texto que compartilho a leitura com todos vocês!

 MÃE (DESNECESSÁRIA) -  Autoria: Márcia Neder
             
"A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase, e ela sempre me soou estranha.  Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara.

Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária. 

Antes que alguma mãe apressada me acuse de desamor, explico o que significa isso.

Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. 

Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.

Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão.

Ao aprendermos a ser “desnecessários”, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar."

                                          Minha vida em um abraço!


No exercício...


Aline (mãe mais que coruja, como todas as mães de verdade!)

27 de setembro de 2011

Estou vacinada!

 Afinal, quem já não se deixou preencher pelo sentimento incômodo da raiva?
Como é difícil ficar indiferente ou compassivo diante desta emoção que gera mal estar.
O que fazer? Como agir? Será a  hora de “chutar o pau da barraca”?
Pois bem, dias atrás quase perco a cabeça, mas uma frase _ “Calma, não faça isso. Não é preciso e só vai piorar...”_ me trouxe a lucidez que eu precisava para me desvencilhar do pensamento primitivo que me levaria a um desgaste ainda maior.
Não contive a raiva, percebi que tentar contê-la parecia deixá-la mais forte e qualquer motivo, insignificante que seja, poderia gerar uma reação tempestuosa, desastrosa. Optei por depurá-la com preces e bons pensamentos. Naturalmente fui soltando suas raízes instaladas no orgulho e tentativa de controle. Pensem num exercício com-pli-ca-do de se fazer (risos), mas canalizei a raiva para algo positivo. 
O que aconteceu? Compreendi que não vale mesmo à pena estragar o dia por uma situação, pessoa ou opinião. E para colaborar com minha disposição em acertar ainda ouvi que “Ter raiva de alguém é tomar veneno esperando que o outro morra”. Neste instante, tive a certeza da importância de minha escolha: eu quero mais é VIVER em paz, com amor e harmonia...e que assim seja! =)

                               Foto:deatenas.blogspot.com
             
"Examina, pois, diariamente, a tua lavoura afetiva. Observa se estás exigindo flores prematuras ou frutos antecipados. Não te esqueças da atenção, do adubo, do irrigador. Coloca-te na posição da planta em jardim alheio e, reparando os cuidados que exiges, não desdenhes resgatar as tuas dívidas de amor para com os outros. Imita o lavrador prudente e devotado, se desejas atingir a colheita de grandes e precisos resultados."

Emmanuel
Livro: Vinhas de Luz - Mensagem 121

20 de setembro de 2011

Por (e com) eles!

     No dia de hoje, compartilho a prece que sempre faço e  traduz  meu pensamento e vibração para eles que estimulam o melhor em mim: meu senso de responsabilidade, a importância dos meus exemplos (através de atos e palavras) e o meu AMOR MAIOR.

                                                    Imagem: maisbelas.com

  POR MEUS FILHOS

Suplico à Maria, espírito que, por sua grandeza, luz, e por seu imenso coração, mereceu ser, na Terra, a mãe de Jesus, que estenda sobre meus filhos, Seu manto de proteção;
Que os guarde das tentações da matéria, do excesso de orgulho, de vaidade e de egoísmo. 
Afastai, Mãe, de seus caminhos todas as influências negativas de encarnados e desencarnados que possam induzi-los aos caminhos perigosos dos vícios e dos abusos do sexo.
Ajudai-me a guiá-los para que sejam dignos, honrados e merecedores da bondade Divina.
Que eles permaneçam em Deus pela fé, não se afastando nunca, Mãe, do caminho ditado por Vosso filho Jesus; amando e respeitando a si mesmos e aos seus semelhantes; conscientes que, desta maneira, estarão amando e respeitando ao nosso Supremo Criador.
Valorosos presentes que Deus permitiu viessem dividir comigo esta passagem terrena, os filhos amados de meu coração são, antes de tudo, Vossos filhos; por isso, Mãe, eu os entrego ao Vosso amor,  para que os guardeis e protejais durante suas trajetórias na Terra.
Confio em Vós e em Vosso amor.

(Fonte: Gotas de Amor e Luz)

13 de setembro de 2011

Na estrada...


 O Mestre Jesus, no Sermão do Monte, disse:

Se alguém te bate na face direita, oferece-lhe também a esquerda (Mt 5:39)
Diante do problema, por mais difícil que seja, o que devemos fazer?
Buscar sempre a solução pacífica.

Se alguém quiser tirar-te o vestido, dê-lhe também a capa (Mt 5:40)
A dor que nos fere vem, de alguma maneira, para o nosso benefício.
A diferença substancial está no modo como agimos perante cada situação.
 
Se alguém  te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.” (Mateus 5:41)

Caminhar com nossos desafetos é benéfico e necessário, segundo Ronaldo Campos (palestrante convidado do Semeador).
Qual o objetivo? O despertar do que necessitamos trabalhar em nós, por exemplo:
- o marido (ou esposa) de temperamento difícil: - exercício da paciência
- o filho (ou filha complicada) : - exercício da tolerância
...e por aí vai...

Por incrível que pareça, o outro (muitas vezes instrumento de provação) é o nosso passaporte para a felicidade. Assim também somos nós na vida dos demais.

Por trás de cada exercício está uma lição maior: exercitar o amor por si e pelo próximo. Não é uma lição tão simples,  apesar de aparentemente fácil. O que nos atrapalha? A falta de misericórdia,mansidão, humildade. A falta do reconhecimento do quanto somos falhos, assim como aqueles a quem facilmente julgamos.


"Reconcilia-te depressa com teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue no oficial de justiça e te encerrem na prisão, de onde não sairás enquanto não pagardes o último ceitil " (antiga moeda) (Mt 5:25-26)

A necessidade dos ajustes para serenar os ânimos, dirimir divergências é AGORA. Não devemos adiar, pois isso implica atrasar os passos no caminho da luz.

Consciente de que ainda não sou tudo aquilo que aprendo ser o melhor, sigo caminhando e tentando...




Luz e paz,

Aline Caldas