31 de agosto de 2015

Fragmentos

A pausa, o silêncio...
Nuvens de pó, devastação.
Destroços, ruínas...
O turbilhão, o caos.
Sombra, escuridão...
Coração acelerado, consciência em transe.
Já não sei mais quem, o que, quando ou se...
A pausa e no silêncio... o vazio.


Aline

31/08/2015

24 de agosto de 2015

Sem martírio


A vida não é só para trabalhar. A vida é para se amar, é pra cantar, é pra sorrir.
Repensar, uma vez por outra, o que estamos fazendo aqui, é sempre bom.
Fomos criados para sermos felizes. 
Temos que ter muito cuidado com a ditadura da vida. Principalmente quando emana de pessoas que, muitas vezes, por não serem felizes ditam regras de vida afirmando serem verdades absolutas. Infelizes!
O momento agora é de repensar essa tal felicidade. Aproveitar a vida do lado de quem a gente verdadeiramente ama, não é verdade?


A mensagem acima foi escrita por uma pessoa muito amada... Dalva Caldas, minha tia!

Muita paz!

Aline 
24/08/1025

18 de agosto de 2015

Intensifique o próprio esforço!

Que eu compreenda que ter poder é ter amor, é saber amar.
Sou vencedora quando combato o "velho homem", quando combato a ignorância e o mal dentro de mim.
A força de minha eloquência estará presente quando finalmente aliar minhas palavras aos meus atos. A verdadeira nobreza está no acúmulo de créditos de amor e gratidão em minhas relações humanas.
Que eu seja um ser respeitável cuidando de ter o melhor coração, cultivando nele a bondade.
Mesmo sabendo pouco, que eu procure sempre descer do altar do supremo orgulho espiritual e busque iluminar as sombras que possam querer me envolver ou ao meu próximo, respeitando as escolhas de ambos.

Fonte de inspiração: Os sinais da Renovação


Muita paz,

Aline
18/08/2015

10 de agosto de 2015

Que fique claro!

Ser espírita não é ser santo (a)! Não, eu não sou santa, loooooooooooooonge disso!Portanto, nada de exigir em seus pensamentos mais do que nem eu exijo ainda de mim.

TODO aprendizado traz um certo desconforto, mudança exige esforço, o despertar é gradativo.
É preciso paciência, além de prudência, para extirpar o joio da nossa plantação interior.

Conscientes do nosso dever, cada um em seu quadrado e crença, peçamos força e resignação diante das nossas falhas, dificuldades e batalhas. Humildade para perceber que naquilo que vencemos, o outro é frágil...e vice-versa.

Cada um tem SEU tempo. Eu tenho o meu, você o seu, ele o dele.




Muita paz!

Aline
10/08/2015